Posted on: 9 de janeiro de 2014 Posted by: Fernanda Correia Comments: 0

Chegamos ao mid season de “The Walking Dead” e eu meio que agradeci por isso. Eu simplesmente desisti de fazer review dos episódios 6 e 7 porque a minha cara assistindo a eles foi essa:

Sério gente. O Governador vagando sozinho, encontra uma família aleatória que tá lá sobrevivendo esse tempo todo e não percebeu que tinham que atirar na cabeça pra matar o zumbi, ele se faz de fofolete e todo mundo cai na dele.

Eles formam um grupelho e obviamente ele pega uma das minas. E provavelmente não pegou a outra porque ela é lésbica (e burra até não poder mais já que começa a berrar do lado de um monte de zumbi).

Qual o mel desse sujeito? Porque tudo que é mulher fica num fogo danado do lado dele? Mesmo ele sendo o maior escroto do mundo (e nem to falando da fissura de no Rick, só mesmo da cara de “traz uma cerveja que eu to vendo jogo” cada vez que ele olha pra uma mulher).

Daí eles encontram um cara que sabe o quanto ele é bisonho, e ainda assim aceita ele novo grupo, ele faz um mind game e toma a liderança do grupo.

Então eu fui assistir o 8 com um preguiça imensa, afinal os dois anteriores só me provaram onde que a terceira temporada errou feio, errou rude. Mesmo com a internet explodindo em elogios depois do episódio.

E o começo do episódio me irritou num tanto. Primeiro que além de um p** de ouro, o cara também tem a voz de Saruman. Ele chegou do nada e misteriosamente quem “controlava” o acampamento morre (e coincidentemente é o único que sabe o quanto o cara é doido), mas opa vamos confiar nele pra invadir uma prisão com uma galera que não fez nada pra gente, afinal a gente deve lealdade a esse sujeito que acabamos de conhecer.

Agora a fixação do Governador em invadir a prisão e tirar tudo do Rick. Ele estar putaço com a Michonne, eu entendo. Ela matou a filha zumbi com quem ele brincava de barbie, doente, ok, vá lá, estamos no apocalipse zumbi.

Quanto ao Rick, ele simplesmente quer uma vingança because stuff. Ele é o moleque bobo do recreio que fica bravo porque o seu lanche é mais gostos que o dele, então ele é obrigado a te socar e roubar pra ele.

E ele é o rei do papinho. Ainda junta com o Rick nessa vibe hippie e os dois ficam falando, falando, falando. Alguém avisou pros roteiristas que o confronto de palavras da temporada passada foi insuportável? Acho que não porque a gente teve um deja vu dele aqui.

O episódio só não me deu um ódio mortal da série pro conta da sequência final. Eu comemorei a morte da garotinha porque tava torcendo pra mãe virar no Jiraya, afinal ela já tinha demonstrado não ter caído da conversinha mole do Governador. Rolou uma alegria com a sapatão tomando tiro na testa também. Ela foi tão otária tentando justificar pra namorada porque elas tinham que obedecer o Governador que ela mereceu a bala, talvez até da namorada.

Rip Hursell. Ok, ele é velhinho e fofo, e ainda foi morto na frente da família. Mas convenhamos, ele empatava demais. A epidemia na prisão deu bastante merda em parte por causa dele. Afinal, vamos deixar a única arma com o sujeito que tá morrendo. A única tristeza é que o Governador cortou a cabeça dele como quem corta uma melancia. Fio, você tinha uma katana nas mãos, não uma faca de rocambole.

Os Goonies. Aquela molecadinha armada tendo mais coragem que meio mundo dos adultos me fez dar um abraço mental na Carol. Obrigadíssima por treinar esses mini psicopatas. De longe minha cena favorita da temporada.

Michonne, aquela linda, fazendo o favor de enfiar a espada no Governador e de quebra dar uma explicada em como se faz uma vingança de verdade (e com motivos). Chave de ouro a mina dele dar o tiro final. Ela cumpriu o papel que a Andrea deveria ter tido.

No final temos um grupo separado, meio sem rumo, com alguns problemas resolvidos. Primeiro eles saíram da prisão, que já tava ficando maçante. Nos livraram de personagens que empatavam a trama, e desculpa mas a bebê era um problema (aliás nego só lembrou dela como quem lembra do leite fora da geladeira).

Pra finalizar, vi uma galera defendendo a série se baseando no quadrinho. Eu li a HQ (uma parte, tem coisa demais) e até entendo, mas cara não é uma série multimídia, como “Lost”, é uma adaptação. Não dá pra eles fazerem uma coisa tão arrastada. Aguardemos fevereiro.

 

Últimos posts por Fernanda Correia (exibir todos)

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.