Posted on: 9 de janeiro de 2014 Posted by: Juliana Farano Comments: 0

Eu sou fã assumida de The Good Wife desde a primeira temporada. Comecei a assistir, confesso, porque amo o Mr. Big Chris Noth de paixão, mas logo nos primeiros episódios já sabia que a série se tornaria uma daquelas que a gente não larga nunca. Dito e feito.

Acontece que, mesmo fã, eu nunca esperei uma temporada incrivelmente maravilhosa ou um episódio arrebatador. Sempre encarei The Good Wife como aquela coisa caso da semana + uma trama bem feitinha que segue durante a temporada. Só. Com atores a atrizes bem bons, porém sem muito que explorar.

Ok. Aí veio a 5ª temporada e… BUM. Coisa linda, minha gente! E aí chegamos ao episódio 5, o Hiting the Fan, e todos morremos. Tem críticos dizendo que foi o melhor episódio do ano (não do ano de The Good Wife, do ano geral). Não concordo porque, né, teve Ozymandias, mas tirando esse, dos que eu vi, foi sim o melhor. A trama perfeitamente construída, os atores arrasando, a gente perdendo o fôlego, o povo todo sendo demitido, a briga pelos clientes… Que maravilhoso!

Depois a temporada voltou ao seu ritmo “normal”, superior ao das anteriores, linda de viver. E terminamos o ano com o episódio de número 100 da série, com direito a festa de Natal da firrrma (ou das firrrmas) e a bela cuspida do Eli quando descobre que o filho da Marylin irá se chamar Peter.

Por isso que eu estou, e você deveria estar também, ansiosa por esse retorno. Sério, gente. Assistam. É uma das coisas mais legais da TV ultimamente. E nem precisa gostar dos tribunais, casos de advogados e etc, porque vai bem além disso.

 

Últimos posts por Juliana Farano (exibir todos)

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.