Posted on: 19 de fevereiro de 2014 Posted by: Will Comments: 0

13514_ggQueria ler este livro desde que foi lançado e a Clara Averbuck falou dele. Fora que “Meu Coração de Pedra-Pomes” é um título para lá de poético.

Tava na lista pra comprar daqui a muito tempo até que rosetando pela redação eu vi um exemplar na mesa do Bob e pedi  emprestado. O livro é curtinho, tem umas 110 páginas. Li numa sentada.

O prefácio já dá o caminho: uma história curta sobre a loucura de uma mulher. A personagem tinha tudo pra se tornar inverossímel pelo tom cult e incomum de seu hobbie (colecionar borboletas mortas e besouros)

Lawanda (lê-se Lauanda) trabalha na limpeza de um hospital, emprego que conseguiu graças a cotas para deficientes. Sem necessidade especial aparente ela se descreve como alguém com uma leve deficiência mental.

O vocabulário às vezes rebuscado e às vezes chulo faz dessa excêntrica heroína bastante crível. Lawanda dá o cu com braveza e não faz rodeios na hora de contar suas aventuras sexuais com o namorado (um homem casado) José Junior.

Quase na forma de um monólogo, recheado por alguns excelentes diálogos, Lawanda conta a história de sua vida e sua rotina. Mais que isso até. Ela recria o mundo a sua volta, enquanto passa o esfregão no chão e oferece serviços escusos aos pacientes do hospital.

Suas antagonistas, a Lucréééééécia e a Vandercília são bem desenvolvidas e dão o toque de realidade do que é a vida, do que é a acaralhação da vida. Juliana Frank conquistou meu coração de carne e veias

Últimos posts por Will (exibir todos)

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.