Posted on: 9 de janeiro de 2014 Posted by: Fernanda Correia Comments: 0

“Agents of Shield” foi, provavelmente, a estreia que eu mais aguardei nessa temporada. E tem sido a mais difícil de assistir porque eu preciso amarrar a fangirl bem firme antes de todo o episódio.

Marvel. Heróis. Vingadores. Courlson. Joss Whedon. Muitas razões para amar sem ver e isso

pode ser um problema.

Whedon prometeu recuperar o padrão “Arquivo X”, soltando vários mistérios e não respondendo nenhum deles. O que pode ser um problema, deixando a série arrastada (como aconteceu com alguns episódios) a curto prazo, ou fazendo ela incrível (quando você vê o quadro todo).

agentsofshield (1)

Por enquanto os melhores momentos da série foram aqueles que fizeram links com os filmes. E de novo, isso é bom para quem acompanha os filmes (e provavelmente tem um conhecimento prévio das HQs, além de já estar acostumado a caçar pedaços de respostas em diferentes revistas), mas pode ser extremamente chato para o simples telespectador. E aqui eu arrisco dizer que os produtores e a ABC tão meio que desencanando deles.

“The Bridge” foi atrasado para poder ser transmitido depois da estreia de “Thor – O Mundo Sombrio”. Não é absurdamente necessário ter visto o filme pra entender o episódio, mas ele fica muito mais divertido quando você vê a equipe da Shield limpando a bela bagunça que Thor e Malekith deixaram em Greenwich.

As piadinhas (que eu volto a insistir: não adianta reclamar, fazem parte das características básicas da Marvel) também foram bem inseridas, afinal impossível não se derreter pelo deus nórdico (apesar da internet — e eu — preferir o irmão malvado).

Antes do crossover com Thor, foi apresentada a central da Shield. Que, me parece, foi um aceno ao filme do Capitão América que promete um belíssimo quebra pau dentro dessa unidade (seja lá onde ela fica). O agente dos curtas também deu as caras por aqui, fazendo mais links com os filmes junto com as menções ao Gavião e à Viúva.

agentsofshield (3)

Essa mistura também amplia a mitologia dos filmes, já que o “The Bridge” e o episódio seguinte seguiram falando de Asgard e deram algumas explicações para a presença de deuses entres os humanos e mesmo a ideia dos portais apresentadas em “Mundo Sombrio” ficou um tico mais clara.

Bacana. Mas e os mistérios da série, sozinhos? Tão lá, jogados. O mid season finale trouxe de volta quase tudo que já foi apresentado na série. A mulher do vestido florido, a centopeia, o olho biônico, a extremis, o sujeito do piloto. Aliás a extremis foi super bem introduzida, mas o link com o Stark ainda tá na dívida (Robert deve cobrar até pra citarem o nome ¬¬).

Mas, nem tudo está perdido já que o final do episódio (e as promos da volta) prometem finalmente respostas. E de cara eles estão indicando que a gente finalmente vai saber o que aconteceu com o Courlson (ciborgue, continua apostando minhas fichas que ele vai ser um robô com a consciência do agente). Então que nos digam o que rolou no Taiti.

Últimos posts por Fernanda Correia (exibir todos)

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.