Posted on: 9 de janeiro de 2014 Posted by: Fernanda Correia Comments: 0

“Agentes da Shield” estava quase conseguindo um feito inédito: desapontar a fangirl em mim.

A série ainda está longe de ser a melhor coisa da temporada, mas eles parecem ter entendido que alguma coisa precisava ser mudada.

Primeiro que deixou de lado aquela coisa de fazer um casinho diferente por semana. Os dois últimos episódios fizeram links grandes e deram fôlego à história.

Retomar a ideia da extremis e desmascarar a Skye foi um sopro de ar fresco. Entendemos finalmente a motivação da moça, jogou um balde água fria no romance chatérrimo Ward/Skye, e revelou um pouco mais da organização que eu estou entendendo como a IMA. A comédia continua lá (já falei antes que isso é a marca registrada da Marvel na vida, não tem como ficar de fora), mas o timing foi ajustado. Não é só piada e a piada não dá aquela derrubada na ação.

Ainda que eu não tenha comprado 100% a história da Skye ter se infiltrado na Shield pra saber dos pais. Tem mais gato no saco da Maré Vermelha, ah tem.

E, finalmente, um link maior com “Vingadores”. O episódio do capacete Chitauri tem apenas um defeito para mim: demorou muito para acontecer. Ele deveria ter sido, sei lá, o terceiro. Mostrando mais da relação direta da série com o filme e dando mais pistas sobre o Coulson.

E o susto da possível morte da Simmons. Eu tinha certeza que ela ia morrer. Deu uma dó, um aperto no coração.

Esses dois últimos episódios animaram ainda mais a forma como eu recebi a notícia de que a Netflix fechou uma parceria e vai produzir minisséries dos heróis que não foram para o cinema. As produções originais da Netflix tem mais liberdade que as de TV aberta, o que por si só já e positivo. E o fato de serem minisséries me fazem entender que vai algo mais pensado e programado.

Que venha o episódio que link “Shield” com “Thor: O Mundo Sombrio”!

Últimos posts por Fernanda Correia (exibir todos)

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.