Posted on: 27 de novembro de 2014 Posted by: Will Comments: 1

É, pois é.
A+cidade+e+as+serrasFui fisgado por “A Cidade e as Serras” quando me deparei com essa edição em um sebo. Achei ela uma gracinha. A temática também parecia interessante.

Início do século XX, sociedade europeia, mais especificamente Paris, fervilhando de novas ideias, produtos, costumes, todo tipo de novidades e invenções surgindo, aparelhos e conceitos que hoje nos são ordinários e o impacto causado por tudo isso acontecendo todo o tempo agora.

Coloquei como opção de presente amigo secreto e ganhei. Comecei a ler e assim. Gzus. Nunca mais eu leio um livro com notas de rodapé. Mentira, leio sim. Mas “A Cidade e as Serras” foi um parto e daqueles bem complicados pra eu ler.

Demorei mais tempo do que deveria, porque simplesmente há todo um vocabulário antigo na história. E isso às vezes prejudica a fluidez da leitura. Polêmica à parte sobre a chatice dos clássicos vou dizer que eu amei e odiei o livro. “A Cidade e as Serras” é chato pra caralho, mas é um livro importante, bom e lança luz sobre várias questões.

Vários motivos. Pouca coisa acontece na história. Temos um rico herdeiro de uma fortuna proveniente de uma cidadezinha num monte em Portugal. Só que ele se muda pra Paris e é extremamente viciado em todas essas novidades tecnológicas.

O problema é que ele nunca está satisfeito. Está sempre sentindo um tédio infinito. Só que isso também é uma das boas características do livro. Ao mesmo tempo que a narrativa e as reclamações nos entediam, às vezes há uma ou outra reflexão sobre os lados benéfico e maléfico da vida moderna.

Essas reflexões muitas vezes são tão claras, pertinentes e atuais que poderiam ter sido escritas esses dias. E dá pra fazer toda uma ponte com essas pessoas que a gente conhece que fazem fila na porta da Apple, compram todos os novos produtos, aguardam ansiosas as atualizações e são fissurados por gadgets.

Lidar com a ansiedade, com pilhas infinitas de coisas pra fazer, ler e assistir. Dá pra se identificar. A pressa e a pressão interna e externa. A falta da noção do que é essencial e até poder (re)descobrir os prazeres do verde e da vida no campo são alguns dos temas abordados.

É 1901, mas poderia ser 2014.

Últimos posts por Will (exibir todos)

1 people reacted on this

  1. […] Ela tem três livros publicados no Brasil com o nome verdadeiro. E como eu sou apenas louco pelo universo dela tratei logo de incluí-los na lista. “Louca pra Casar” eu ganhei no começo do ano do Schwa de amigo secreto. Junto com “A Cidade e as Serras“. […]

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.